Email marketing e a problemática da compra de “mailings” ou listas de emails

Published in june, 12 of 2013

Existe um mercado negro que se estabeleceu no país no que diz respeito à compra e venda de informações sigilosas e, nesse meio, podemos incluir também bases de dados de e-mails para campanhas de email marketing. Para quem não sabe, a aquisição desse tipo de material é crime de acordo com o Código Penal. Ninguém pode adquirir informações pessoais suas sem o seu conhecimento e utilizá-las para outros fins que não os acordados na hora do cadastro.

Quando a internet surgiu, descobriu-se que o e-mail seria a melhor ferramenta para divulgação de produtos e serviços, pelo simples fato de permanecermos com o leitor de e-mails permanentemente aberto durante o nosso horário de trabalho. Muitas empresas viram isso como uma oportunidade de ouro esperando para ser aproveitada.

No entanto, com o aumento considerável do envio de lixo eletrônico (SPAM), os resultados  obtidos através de campanhas de email foram tornando-se cada vez mais insatisfatórios em relação aos primeiros tempos da internet. As taxas de abertura e de cliques foram diminuindo e as taxas de retorno por erro aumentaram cada vez mais.

Isso aconteceu porque à medida que as pessoas foram se familiarizando com o uso do email no seu dia-a-dia, passaram a reconhecer emails indesejados, contendo chamadas de ofertas milagrosas e produtos revolucionários nunca antes vistos, como o que hoje convencionamos chamar SPAM e passaram a simplesmente descartar esse tipo de mensagem.

Mesmo assim, nos grandes centros urbanos ainda é muito comum encontrar bancas de camelôs vendendo CDs contendo milhares de e-mails para envio de SPAM sob a alcunha de email marketing. Além do fator ilegal em adquirir essas listas, a probabilidade de um envio feito a partir de uma delas ser um fracasso é muito grande pelos seguintes motivos:

  • Opt-in: nenhum endereço do mailing optou em receber seus informativos. Logo, se você utilizar essa lista para disparo será considerado um spammer.
  • Inconsistência: boa parte dos endereços de e-mail existente nessas listas são inválidos, pois foram obtidos através de técnicas de rastreamento de páginas de internet.
  • Baixa relevância: como você enviará um conteúdo específico para uma massa de contatos aleatórios, os poucos endereços de e-mail válidos que restarão do mailing adquirido provavelmente não vão achar o seu conteúdo relevante.

Em resumo, a compra de listas é um atalho para a realização de envios de emails que não deve ser adotado. Você enfraquece sua marca junto ao cliente e desperdiça tempo e recursos em algo de pouco retorno. Conforme falamos no post "Como captar endereços de e-mail para sua campanha de email marketing?", você deve se concentrar em construir uma lista de emails de qualidade, a partir de pessoas que querem receber seus comunicados e estabelecer uma relação com sua empresa.

Aguarde mais posts sobre o assunto!

 

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

Se quiser ampliar o debate sobre estes temas, estamos presentes nas redes sociais. Entre lá e nos diga o que achou do conteúdo!

Facebook, Twitter, Linked In, Google+